segunda-feira, 29 de novembro de 2021

Coworking Vs Home Office - O que é Melhor



Diante do grande aumento de atividades em home office na pandemia o mundo se redescobriu. O que já era uma tendência praticamente virou obrigatório para a maioria das pessoas. Infelizmente, junto com o trabalho remoto apareceram também as dificuldades de se fazer as coisas em casa. Muitos empecilhos e distrações têm o poder de diminuir a produção de um trabalhador até mesmo dedicado. Diante disso, será que vale a pena pagar por um Coworking?

Minha experiência relatada aqui pode ajudar, e não quero bater o martelo, pois grande parte da decisão caberá à experiência e particularidade de cada um. Para quem já me acompanha há mais tempo sabe que minha esposa tem um negócio online, no qual eu a auxilio. Passamos algumas horas no computador para poder administrar as tarefas diárias. Acontece que não temos escritório, e tudo é feito em casa. O problema ficou claro como água quando reparamos que há MESES não estávamos produzindo conteúdos novos de qualidade, e os que conseguimos fazer eram apenas os regulares, feitos sempre em cima da hora, devido à procrastinação, e que só eram concluídos por serem cruciais. Os outros projetos que temos estão todos estagnados por preguiça. Sim, nos acomodamos a uma oportunidade que chegou até nós, muito boa por sinal, e paramos outras atividades que tínhamos como potencializadoras de sucesso no negócio.

Enquanto pensávamos e organizávamos mais cursos online, mais materiais no canal do Youtube, e até mesmo livros a serem escritos, veio essa oportunidade de uma empresa no exterior que nos paga para gerar conteúdo para seus clientes. E como o pagamento é muito bom, até mais que meu salário regular, decidimos fazer essa atividade, e acabamos deixando as outras de lado, fazendo só o mínimo do mínimo. Resultado: paramos de vender cursos online, e essa renda secou faz uns 3 meses. Acontece que esse novo ganho pode parar a qualquer momento, não é algo certo, apesar de ser um projeto de longo prazo, segundo a empresa. O contrato foi de 6 meses e se encerra creio que no final do ano, mas como disse, iremos prosseguir, porém sem saber como e quando vai acabar.

E o Coworking

Enquanto estava no salão cortando meu cabelo, conversei com um advogado que alugava uma sala no prédio comercial onde está localizado o salão, e pagava por pacote de horas. Fui ver o local e gostei. Mostrei pra minha esposa e achamos excelente. Sabíamos que ali estaríamos para trabalhar, e não procrastinar. Fizemos um pacote inicial simples de 12 horas só pra sentir, pagamos 270 reais, e fomos 3 dias, sempre pela manhã.

Gostamos demais, produzimos conteúdos novos, novos vídeos, organizamos as planilhas dos visitantes do site, e entramos em contato com possíveis clientes. Não fechamos nenhuma venda, mas esses 3 dias nos mostraram que poderíamos produzir muito caso ficássemos trabalhando ali.

Vantagens

O ambiente é bastante profissional, todo planejado, com mesas de madeira em MDF muito boas, climatizado, internet, e até secretária à disposição para administração de papéis, contas e encomendas, e o que eu mais gostei, ela leva cafezinho e água para você quantas vezes você quiser. Fica bem no centro da cidade, a 10 minutos de carro da nossa casa. O ambiente é muito profissional, e os vídeos do canal ficaram excelentes! A motivação ali é enorme e você não quer fazer outra coisa a não ser produzir conteúdo.

Problemas

Acontece que o pacote que necessitamos é de 50 horas mensais, e isso ficaria aproximadamente R$ 1000 por mês. Esse valor ainda é consideravelmente alto para nossos ganhos, e já temos uma despesa de aluguel do nosso apartamento, então estaríamos com mais uma despesa, e um gasto alto. Esses R$ 1000 seriam para 12 dias de 4 horas por dia, já que não iríamos diariamente, uma vez que temos outros compromissos regulares. Mas já seriam 12 dias ótimos e bem produtivos.

Outra desvantagem é que além desse custo ainda arcaríamos com estacionamento no prédio, pois achar vaga próximo é um trabalho quase impossível. Ainda há que se pensar na gasolina, embora como temos que sair para levar nosso filho para escola e buscá-lo, a diferença seria pouca.

O que Decidimos

Primeiramente cheguei a pensar em montar um belo escritório na nossa casa, nos moldes do coworking que fomos, porque quando pensei em gastar 12 mil reais por ano ali, refleti se não seria melhor adquirir os itens para nós mesmos com esse valor e teríamos algo profissional no nosso apartamento. Mas... eu queria algo ainda melhor e mais econômico! Como ficamos os 3 dias trabalhando bastante, eu pensei, "Por que raios não podemos fazer isso em casa?!"

Então decidimos fazer uma experiência: iríamos seguir a rotina de acordar cedo, se arrumar com roupas profissionais, levar nosso filho para escola, e em vez de irmos para o coworking, faríamos na nossa casa, na mesa de jantar, devidamente bem vestidos, e seguindo as mesmas coisas que faríamos lá no escritório, sem esses custos e sem o deslocamento.

Ilusão? Não sei, mas temos que tentar antes de assumirmos um contrato de meses sem saber se poderíamos arcar, pois vai que paramos de receber da empresa que nos contratou, ou ainda, se mesmo trabalhando não vendermos nada, já que não é garantia. Então, decidimos fazer esse teste na nossa casa, exatamente como se estivéssemos lá nos dias que programaríamos. Tipo, sentar no ambiente da nossa casa escolhido, um de frente para o outro e começarmos a trabalhar, e fazer só isso. Sabendo que qualquer parada para fazer qualquer outra coisa, estaríamos fugindo do nosso propósito ali naquele momento. Nada de querer adiantar almoço, nada querer organizar a casa, nada de ficar vendo vídeos no YouTube ou assistindo filmes e séries nesse horário, nada de procrastinação!

Pretendo atualizar mais dessa jornada aqui no blog.


CONCLUSÃO

Como ainda estamos em processo, falta algum tempo para decidirmos de fato o que fazer, mas de cara entendemos como muito custoso para nosso ramo, uma vez que podemos facilmente fazer isso em casa. Inclusive, como você deve ter inferido, nosso único filho está na escola no horário que planejamos para trabalhar. Então já é um fator de concentração.

Acompanhe o blog para mais detalhes dessa saga.

Já viu o ranking dos patrimônios da Blogosfera de finanças que estou atualizando? Não? Clique aqui e faça parte também.

Peço que coloquem esse meu site na sua lista de blogs, pois ajuda muito na divulgação. Quem quiser, é só me avisar que acrescento na minha lista também, que gera acessos pra vocês a partir de quem entra aqui.

Por hoje é isso. Comenta aí o que achou!
Vejo vocês nos comentários e no próximo post

Forte abraço a todos e fiquem com Deus.

See ya...


ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE

Todo conteúdo publicado neste site baseia-se no direito de expressão garantido nos arts. 5º, IV e 220 da Constituição Federal de 1988. Não sou profissional de investimentos nem consultor financeiro licenciado. Nenhum ativo e/ou estratégia de investimentos aqui mencionados deve ser considerado indicação de investimento. Este blog representa apenas opiniões e decisões pessoais, que podem não ser apropriadas para outros investidores. Por favor, use o bom senso e/ou consulte um profissional de investimento certificado antes de investir seu dinheiro. O Diário de um Poupador e seu criador não são responsáveis pelos resultados de suas decisões, nem responsável pelos comentários postados pelos leitores ou pelo conteúdo de quaisquer sites vinculados. Este blog deve ser visualizado apenas para fins educacionais ou de entretenimento. Resultado passado não é garantia de resultado futuro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário