sábado, 14 de outubro de 2017

Pretendo Atingir a Independência Financeira com um Cargo Público, É Possível?



Olá pessoal. Com o dia do servidor público se aproximando (28 de outubro) queria trazer aqui um post sobre meus planos de chegar à Independência Financeira em um cargo público. 

Como é sabido, vários integrantes da blogosfera são funcionários públicos, e recebem um salário razoavelmente bom. E eu me incluo nesse time. Eu recebo entre R$ 8.000 e R$ 10.000 líquidos, o que pra maioria dos trabalhadores brasileiros está acima da média. Eu sempre agradeço a Deus por esse cargo que ocupo e por ter me dado a força necessária pra perseguir e alcançar esse objetivo.

Entrei há cerca de 7 anos nesse cargo, mas já sou funcionário público há 9. Antes eu passei rapidamente por uma empresa pública de saneamento e pelo cargo de Técnico Judiciário no TJ do meu estado, até conseguir a aprovação e a convocação para assumir o atual cargo federal que ocupo.

Pois bem, depois de muito sofrer com a matrix financeira, como relatei aqui, e decidir mudar de pensamento, eu vi que era possível atingir a INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA sendo um servidor público, mas precisaria seguir algumas regras que mencionarei a seguir.

PRIMEIRA REGRA

Como servidor público que ganha bem, eu era fortemente tentado a gastar muito, torrar dinheiro com besteira, gastar além do que ganhava, usar o crédito do cartão além do que poderia pagar, usar cheque especial, entre outras loucuras financeiras. E por quê? Por sentir uma estabilidade no emprego e achar que teria aquilo pra sempre, então poderia fazer o que quisesse. Ledo engano.

O servidor público que quiser atingir a IF tem que primeiramente parar de gastar se apoiando na estabilidade que o cargo trás (a qual agora tem mais um agravante) e parar de gastar mais do que ganha, pra aparecer, pra se sentir bem, ou seja lá pra quê.

SEGUNDA REGRA

A segunda regra que como servidor público preciso sempre seguir é fugir das tentações dos empréstimos consignados. Devido a juros mais baixos que o normal e facilidade na contratação, é possível pegar quantias consideravelmente altas e pagar uma parcela baixa por um período longo, e isso é uma tentação sem tamanho para inúmeros servidores. Qualquer funcionário público pode confirmar o que estou dizendo. Me diga se você não conhece alguém atolado em parcelas altas de empréstimos consignados. Uns mais, outros menos, mas sempre vai ter alguém no seu órgão que tem alguma, ou muitas, dessas armadilhas vermelhas no lado dos descontos no contra-cheque.

Isso vai minando suas chances de melhorar de vida, porque justamente de onde você deveria tirar pra sair dessa situação, já há um banco aproveitador fazendo isso.

E muita gente sofre bastante com isso, pois é algo que não vai acabar facilmente, geralmente o pessoal pega coisa pra lá de 48 meses. Já vi empréstimos de até 90 e tantas parcelas. Um colega meu, pra investir num cursinho pra concursos públicos em sua cidade, pegou mais de R$ 100.000 e tinha parcelas acima de R$ 3.000. Espero sinceramente que dê certo o negócio, do contrário o negócio vai mal, mas a dívida não perdoa, fica lá até o finalzinho, atormentando todo mês aquele que usa desse meio.

Como eu queria ter escutado quando me disseram pra não cair nessa armadilha. Cabeça de jovem é complicado.

TERCEIRA REGRA

Depois de tomar consciência de que não é permitido se garantir na estabilidade, passar a gastar menos do que ganho e fugir dos consignados, aí começou sobrar dinheiro do salário. O que fazer? Meter tudo na poupança até me aposentar? De forma nenhuma. É preciso buscar outras formas de investimento além da poupança (sem fazer referência ao blog do nosso colega, que é muito bom por sinal)

Tenho um colega que há mais de 20 anos de função guarda tudo na poupança, e me disse que tem "medo" de outros investimentos. O cara já deveria ter pelo menos o triplo, se apenas mudasse a renda fixa investida. Tendo esse colega como exemplo, preciso ter em mente outras formas de investimento, especialmente em renda variável, e aí o servidor público começa estudar sobre Ações, Fundos Imobiliários, etc.

QUARTA REGRA

Após parar de gastar mais do que ganha, após escolher bons investimentos para aplicar parte da sua renda mensal, eu preciso da quarta regra, que é, congelar o padrão de vida. O servidor público tem uma forte tendência a cair na Lei de Parkinson. Pois, se sua renda aumentar, ele vai querer usá-la para mais despesas, vai querer aumentar o padrão de consumo. Vai querer se mudar pra um condomínio fechado com piscina. Vai querer assinar a TV a cabo com o pacote mais caro, vai trocar de carro e assumir outro financiamento com uma parcela maior, vai passar a comer fora mais vezes, vai fazer compras num supermercado mais caro e mais chique, e por aí vai.

Preciso aprender (e estou fazendo isso) a congelar o padrão de vida. E qualquer renda extra que entrar, seja de aumentos progressivos devido ao desenvolvimento na carreira pública, seja por adicionais adquiridos por algum cargo de chefia, ou até mesmo uma indenização de transporte ou vale alimentação maior, é preciso manter o padrão de vida se quiser chegar a IF mais rápido!

Por exemplo, meu caso. Digamos que ganhe R$ 9.000 e decida poupar 30%, usando 70% pras despesas pessoais. Quer dizer que eu posso gastar até R$ 6.300 e poupar R$ 2.700. Muito bem, agora se vier um aumento de, digamos, R$ 2.000 reais de algum adicional extra, o que fazer, poupar todo adicional? É uma opção. Mas para não me sentir sufocado, e não aproveitar nada do aumento, posso aproveitar para melhorar a porcentagem de aportes. Se agora eu recebo R$ 11.000, posso poupar não mais 30%, mas sim 40%, ou seja R$ 4.400. É uma opção.

O que quero dizer é que não se pode querer pensar no aumento todo como renda extra pra despesas. Se eu já tiver com minhas despesas controladas em R$ 6.300 e puder aportar mais R$ 2.000 sem problemas, ótimo, vou passar a portar 42%. Mas também não quero ser radical. Economizando 40%, posso gastar mais R$ 300 por mês, e ainda assim estarei economizando 40% da renda, o que é ótimo.

E assim sucessivamente durante toda sua carreira pública. Mês a mês, ano a ano, vou construindo a independência financeira mesmo sendo um servidor público.

QUINTA REGRA

Agora, depois de tudo isso, se eu percebo que quero adiantar minha IF, ou melhorar a renda passiva no futuro, posso querer melhorar mais ainda minha renda mensal. E se não tiver nenhum aumento significativo à vista, especialmente com esse governo no poder, pode ser a hora de eu querer mudar de cargo, e prestar outro concurso público.

É uma boa opção pra quem já passou em um concurso antes, e sabe os macetes pra conseguir passar em outro: estudar, estudar e estudar, muito.

Se estiver disposto a passar por toda essa maratona novamente, posso conseguir aumentar a renda de forma significativa. E aí vamos em cheio pra QUARTA REGRA aí em cima, manter o padrão de vida. Porque de nada adiana um técnico/analista passar pra promotor e já querer trocar seu Polo Sedan 2012 por uma Hilux SW4 zero km, ou sair de sua casa no bairro classe média da cidade e ir morar no Alphaville da cidade praiana mais próxima e comprar uma 'casinha' de 1 milhão. Pé no chão, sempre.


Caso eu não tenha mais a força de vontade pra manter o ritmo de estudos frenético que passar num concurso exige, eu posso pensar em outras possibilidades de aumentar a renda. Abrir um negócio próprio, uma franquia, talvez. Ensinar em algum cursinho, ou escola, pode ser, afinal, tanto conhecimento guardado nessa cabecinha tem que ser passado pra alguém. E ainda poder ganhar com isso. Ou sempre há a possibilidade de virar "coach de nada" como disse o madruga no seu blog :P (Brincadeira, Não façam isso, por favor)


Se alguém tiver começando na vida pública agora, é importantíssimo seguir essas regrinhas aí. Que o diga os servidores que já estão bem encaminhados rumo à IF.


Por hoje fico por aqui, espero ter ajudado alguém contando meus planos de independência.
Deixei passar alguma dica importante? Deixe seu comentário, que gostaria de melhorar essa caminhada.


Um forte abraço a todos, fiquem com Deus


See you next post, folks...


domingo, 8 de outubro de 2017

Pagar 10% e Couvert no Restaurante - Sinal de Alerta Ligado

Imagem aleatória da internet

Nesse fim de semana fui com a senhora Diário pra um jantar num restaurante chique da cidade. Às vezes é preciso fazer algo fora da rotina, não é?

Bom, eu já fui sabendo que não ia gastar pouco, mas também não queria sair de lá com um financiamento tipo 'lagosta leasing', ou 'camarão consignado'.

Assim que cheguei se apresenta um rapaz todo na beca nos recebendo e nos encaminhando numa mesa pra dois. Nos passou o menu e fui escolher. Pra não dar na vista, nem falei de preço pra esposa. Claro, vamos pagar de Dom Ruam de vez em quando  :P

Escolhi o filé mais fino da casa, pedi, e aí prestei atenção no preço. Quando o cara de smoking (nem tanto) perguntou: "Como gostaria do seu filé, senhor?", Eu quase repondo:  "Em 12 vezes por favor!" :O

Bom, enquanto não chegava o prato principal, passei a reparar no local (de leve, pra não passar a imagem errada). Tudo muito chique, limpinho, bem organizado, típico de um lugar onde querem receber bem aqueles que desembolsam fortunas ali pra comer algo diferenciado (será?). Iluminação estilo restaurante novaiorquino, decoração Estados Unidos anos 80, e banda tocando ao fundo.

De repente, um menino de uns 8 anos começa cantar! E cantou um bom tempo! Talvez alguma família expressiva ali no local pediu para deixarem ele fazer uma declaração pra alguém da família em forma de música... que lindo... sqn.
Pensava na hora: "Só espero não ter que pagar couvert pra isso!"

Cada item que ia chegando na mesa eu mentalmente ia calculando o preço total, tipo um Júlios de "Todo mundo odeia o Cris".

Terminado o jantar, tentei chamar o garçom pra pedir a conta, mas ninguém vinha, e eu não iria gritar, ou bater com o talher na taça que estava na mesa. Estranho, pois quando cheguei o garçom vinha várias e várias vezes, para perguntar o pedido, pra servir a comida, pra perguntar se iria querer mais alguma coisa, inclusive pra perguntar se estava indo tudo bem. Aí, na hora que terminamos, e já estávamos satisfeitos, prontos pra pedir a conta, simplesmente não passa mais ninguém na mesa, até os olhares pareciam ser estrategicamente evitados. Por que seria? Afinal, se eu quisesse mais alguma comida, eu precisava pedir, oras!

Pois bem, depois de alguns minutos cansado de ser ignorado, eu me levantei e fui até o balcão lááá no fundo do restaurante, e solicitei encarecidamente a conta. Após um breve momento, chega o garçom com a dita cuja. Olhei o preço e achei meio salgado pra um jantar simples, por assim dizer (não pedi nenhuma lagosta pescada nas ilhas Fiji por moradores nativos do local, e trazida viva num voo de cruzeiro direto para o Brasil, onde ela era rigidamente alimentada com caviar fino do Irã).

A conta veio R$ 140,00. Aí eu, como bom consumidor consciente, fui olhar a discriminação do consumo nos detalhes (a senhora Diário estava longe, lá na mesa, e eu resolvendo no balcão, o que me deu uma certa tranquilidade em poder fazer isso). Ao olhar bem o consumo vi o famigerado 10% sendo cobrado no valor de cerca de R$ 12,00. Muito bem, disse pro garçom: "Será sem a taxa senhor." Após aquele olhar de "Sério, cara?", ele calculou então o valor a pagar de R$ 128,00. Foi quando eu olhei mais atentamente pra lista do consumo e vi um tal de COUVERT a R$ 10,00.

Mas o problema não foi nem esse, acontece que o restaurante, na cara de pau, colocou isso na lista de consumo ANTES dos 10%! Ou seja, o valor do adicional foi calculado incluindo a música. Agora imaginem seu eu ia pagar R$ 11,00 pra escutar um menininho fazendo uma homenagem pra alguém (nada contra). Por favor né restaurante, ajuda eu!

Bom, respeitosamente eu disse: "Olha, vai ser sem o couvert também tá." Podem imaginar a cara do garçom a essa altura. Mas beleza. Ele foi lá, recalculou e colocou na maquininha do cartão pra eu pagar R$ 130,00, INCLUINDO A PORCARIA DOS 10%! Eu, calmamente, com toda paciência do mundo disse: "Não meu amigo, é pra tirar o couvert, e também os 10%. Essa conta é pra ser R$ 118,00". Bom, eu já nem olhava mais as expressões do garçom, pra não ter um estresse desnecessário.

Maquininha com R$ 118,00 pronta, DÉBITO passado, conta paga. Um obrigado e até...
...não sei quando!

Fica aí o alerta pra vocês sempre olharem a discriminação das contas desses restaurantes, que se aproveitam da situação, muitas vezes de a pessoa estar acompanhada e não querer passar vergonha, e acabar aceitando tudo que for imposto "guela à baixo". Apenas vendo o prejuízo no saldo bancário depois. Quer impressionar alguém, quer levar alguém num lugar chique de vez em quando, é muito bom, eu recomendo. Só não suporto certos abusos, malandragens, esquemas pra tirar dinheiro dos mais desavisados.

Mas pior que isso é bem comum. Cabe a cada um policiar bem seu orçamento e suas despesas, não importa em que restaurante 1ª linha forem, fiquemos atentos.

PS: Eu acho importante sim os 10% dos garçons, o que eu não concordo é o que a maioria dos restaurantes fazem, que é não repassar para eles esse valor arrecadado. E a conta é simples: um restaurante desse tipo recebe em torno de uns 30 a 40 consumos/dia, e o dobro nos fins de semana. Cada conta facilmente ultrapassa os 200 reais. Isso dá entre 20.000 e 30.000 reais de taxa de 10%. Se um restaurante desses mantiver cerca de 15 funcionários, me pergunto se eles recebem cada um 2000 reais a mais no salário. Difícil.

Quanto ao Couvert, nada contra também, é o trabalho deles. Mas se eu não quiser ouvir música enquanto como, ou se nem prestar atenção, porque devo pagar?
E mais uma vez, o que garante que o valor pago será repassado na sua integralidade?

Ainda bem que não são obrigatórios. O chato é pagar de cliente ruim por não querer pagar essas coisas, e querer desembolsar só pelo que foi de fato consumido.

Fiquemos de olho.

Um abraço e fiquem com Deus.

See you guys...

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Como Está Se Saindo a Carteira do Joel Greenblatt - Atualização Setembro/2017



Olá colegas da corrida à IF.

Segue a atualização da minha carteira simulada usando os critérios definidos pelo investidor e gestor de fundos Joel Greenblatt, no seu livro "The Little Book That Beats The Market".

Nesse mês de setembro ela não teve uma valorização assim tããão expressiva quanto ao IBOV, mas ainda assim conseguiu ser bem rentável. Sua rentabilidade considerando apenas setembro foi de 3,14% contra 4,86% do IBOV*




A ação que mais valorizou foi a VVAR11, com 37,57% apenas em setembro. Desde que comecei a carteira ela já valorizou 75,11%.

Negativamente tive a BOBR4, com -13,50% de desvalorização. Porém no acumulado já está com 47,69% positiva.


Mas...
...desde a primeira "aquisição", que foi no dia 16.06.2017 (quando iniciei o experimento) e a segunda no dia 04.08.17 (quando incluí mais 8 lotes) aí a fórmula do Joel ainda está à frente do índice.
São 20,98% contra 19,20% do IBOV.*




* Essa rentabilidade do Ibovespa considera a rentabilidade média dos dois períodos de aquisição das ações. A primeira parte a partir do dia 16/06/17 e a segunda do dia 04/08/17

Segue a carteira:


Data das cotações atuais em 04/10/2017.
As 8 primeiras adquiridas em 16.06.2017, dia do início da simulação;
As 8 últimas incluídas no dia 04.08.2017
Conforme preconiza a fórmula do livro, você precisa ir comprando lotes de ações a cada 3 meses, até formar uma carteira com no máximo 30 lotes de ações. No meu caso estou adicionando em períodos mais curtos para ter uma noção a tempo de começar a investir, previsto para 2018.


Critérios:

E quais são os critérios para compras as ações?
Bom, pra isso deixei um post dando uma geral aqui , é importante dar uma olhada nos links ao final do post para ver com detalhes todos os critérios da fórmula.

Mas, caso você queira algo mais rápido e bem resumido, there is it:

Você vai classificar as ações da bolsa com base em apenas dois índices, ROIC e EV/EBTIDA. Qualquer uma com valores negativos desses índices, tá fora. O ranking das ações mais propensas a valorizarem é feito com base na ordem desses índices, onde é feito uma média dos dois em conjunto. Ou seja, são dois rankings. O primeiro a ação que tiver maior ROIC está no topo. No segundo ranking a que tiver menor EV/EBTIDA está no topo. Depois é preciso ponderar e balancear os dois rankings, de forma que a ação que tenha ao mesmo tempo maior ROIC e menor EV/EBTIDA esteja à frente das outras. No link do post acima há um arquivo beeem didático de como fazer esses rankings.
E pra terminar, estão fora do ranking financeiras e concessionárias de serviço público.

Por hoje é só... são 03:00 da manhã e os olhos estão cansados :z

Mês que vem tem mais. Continuo acompanhando a saga dessa fórmula pra ver como se sai.

See you guys


Aquele recadinho básico pra ninguém pegar no pé:

IMPORTANTE
As informações nesse blog são apenas de caráter pessoal, não constituem orientações de investimentos. Se você quiser orientações desse tipo deve buscar em meios devidamente autorizados para tal. Tudo que está aqui é  o acompanhamento de minhas operações cotidianas em relação a poupar.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Fechamento Setembro 2017 e Aporte Inicial (R$ 16.360,98)



Olá pessoal.

Segue o meu fechamento de setembro e aporte inicial. Eu contabilizo o aporte logo no início porque é quando recebo meu salário. Aí, como manda a regra, eu sou "meu próprio débito automático". Ou seja, aquilo que eu já tinha planejado de antemão que iria aportar eu já aporto assim que entra o salário, e passo o mês com o restante, de acordo com o orçamento estipulado. Caso entre algum valor no decorrer do mês, eu aporto novamente. Assim evita de eu gastar o que deveria poupar. Como sabemos, deixar pra poupar o que sobrar no fim do mês nunca é o ideal, porque vai haver 30 dias de armadilhas pra eu gastar esse valor. Os valores estão separados em Ativos e Passivos, para melhor controle do patrimônio líquido.

ATIVOS

Esse fechamento vai ser com o que tinha divulgado aqui no registro inicial do controle de patrimônio, ou seja:

R$ 12.925,00 na POUPANÇA
R$ 2230,00 no TESOURO DIRETO

TOTAL: R$ 15.155,00


APORTE INICIAL

O aporte inicial planejado e executado foi de:
R$ 1150,00 na poupança mesmo. O Patrimônio fica então:

R$ 14.075,00 na POUPANÇA
R$ 2232,73 no TESOURO DIRETO
R$ 53,25 nas CORRETORAS (38,50 na Easynvest + 14,75 na Clear)

TOTAL: R$ 16.360,98

Discriminação Tesouro Direto
Pré Fixado: Total: 462,87  /  Imposto: 13,82  /  Líquido: 449,05  /  Lucro: 55,33  /  Valorização: 14,05%
IPCA 2019+: Total: 573,65  /  Imposto: 10,09  /  Líquido: 562,75  /  Lucro: 43,60  /  Valorização: 8,40%
IPCA 2035+: Total: 1242,14  /  Imposto: 21,21  /  Líquido: 1220,93  /  Lucro: 91,51  /  Valoração: 8,10%

TOTAL LÍQUIDO R$ 2232,73

Esses são meus ativos. Eu aportei na poupança porque pretendo pagar uma dívida alta nesse mês de outubro, portanto preciso de liquidez. Como narrei aqui, eu tenho dois empréstimos consignados pra quitar, que são meus passivos. E nesse mês de outubro está planejado para eu quitar o de maior valor e parcela. Essa semana eu entro em contato com a financeira pra saber exatamente quanto será o saldo devedor a pagar pra quitar essa dívida.

Assim que pagar, o meu saldo dos ativos vai diminuir consideravelmente, mas já está nos planos.

PASSIVOS

Agora considerando meus passivos, minhas contas a pagar, no caso o valor atualizado dos empréstimos. Meu saldo, o patrimônio líquido, continua negativo. Segue:

EMPRÉSTIMO 1: Saldo Devedor R$ 13.200,00
EMPRÉSTIMO 2: Saldo Devedor R$ 9.200,00

TOTAL: R$ 22.400,00

ATIVOS - PASSIVOS = PATRIMÔNIO LÍQUIDO
R$ 16.350,00  -  R$ 22.400,00  =  (- R$ 6.050,00)

* Preferi não incluir aqui os ativos imobilizados, que seria apenas um carro popular que tenho. Moro de aluguel e ainda não tenho imóvel próprio. O farei quando puder comprar à vista, mesmo que demore.

Bom, agora é iniciar o mês registrando todos os gastos na minha planilha do Excel, hábito que já tenho há bastante tempo, mas agora com maior conhecimento financeiro já o faço com maior consciência e disciplina. Pois antes eu registrava tudo, mas ainda assim gastava mais do que ganhava e não poupava nem investia em nada. Aí não adianta.

Estou fazendo todo esse post pelo Smartphone, pois estou trabalhando, em outra cidade, sem o meu notebook. Por isso não há minhas tabelas e nem gráficos aqui, e o texto ficou sem formatação. Assim que retornar pra casa eu atualizo tudo direitinho e deixo melhor organizado.

Por hoje é só pessoal.

Fiquem com Deus

See ya next post...

sábado, 30 de setembro de 2017

METAS #1 - Inglês



Quero compartilhar algumas metas que tenho, não financeiras. E acompanhar ao longo dessa caminhada.

INGLÊS

Como é bastante difundido na blogosfera, estudar outro idioma é algo bastante importante, especialmente se for pra conseguir melhorar a renda. Eu particularmente sempre gostei de aprender inglês. Eu pensava algum dia viajar pros Estados Unidos e poder me comunicar bem, mas nunca avancei muito. Eu tinha apenas o que aprendi no colégio e o que eu sempre escuto em filmes e seriados, os quais procuro sempre assistir em inglês.

Mas de um tempo pra cá eu criei o desejo de morar fora quando atingir a independência. Principalmente quando um grupo de missionários veio pro meu estado abrir uma igreja, e eu fui ajudar. Pude me comunicar de alguma forma com o pouco de inglês que tinha, mas tive alguma dificuldade. A partir daí eu quis muito ficar fluente na língua. Desde então venho buscando formas de incrementar meu inglês pra poder atingir esse objetivo.

Nesse post vou abordar as técnicas que estou usando nesse propósito.

Comecei com o aplicativo Duolingo, que é muito bom por sinal. Terminei o curso de inglês, fiz todas as lições, e todo dia pratico um pouco mais. Já estou praticamente em 70% de fluência. Exatamente o que os testes que faço afirmam, nível intermediário pra avançado. Mas o aplicativo não é suficiente pra te deixar fluente, na verdade passa muito longe disso. Ele é excelente pra dar uma base e principalmente motivar a pessoa a buscar outras fontes de estudo.

Daí parti pra vídeos no YouTube. Encontrei o canal "Você Aprende Agora" e gostei. Mas aí passei a preferir que um nativo passasse as informações da língua, e nesse canal é um falante de português que ensina, apesar de ele ser muito bom, principalmente pra quem tá começando.

Hoje estou acompanhando dois canais, "SmallAdvantages" e "Ask Jackie", mas eles só dão dicas, muitas por sinal, não ensinam um curso em si.
Recomendo.

Mas ainda assim precisava de algo mais. Lendo o livro do Mairo Vergara, aquele bem famoso que vive pulando em propagandas na Internet a fora, o famoso GUIA DEFINITIVO PRA APRENDER INGLÊS (Acho que é assim), eu vi uma dica muito boa. Quem diria que aquela propaganda que eu sempre ignorava e achava que era só mais um iria me dar uma dica interessante. A dica pra melhorar o inglês e ficar fluente, pelo menos em conversação, é simplesmente assistir seriados.

"Ah, mas isso eu já faço e não sou fluente em inglês!"
Você pode pensar.

Aí que tá. Tem que fazer de uma forma diferente.
A Estratégia é seguinte:
- Escolher um seriado com inglês fácil
- Assistir um capítulo com legenda em português
- Assistir o mesmo capítulo com legenda em inglês até entender tudo que foi falado e fazer a associação com o que tá na legenda.
- Assistir a terceira vez agora SEM legenda nenhuma
- Fazer isso até o final do seriado

A série que escolhi pra começar foi Friends. Por gostar, por ser divertido, por ter inglês fácil, e por eu já ter assistido e ter vontade de assistir de novo, mas nunca começava. Agora tenho a oportunidade.
Outras duas séries que gosto e pretendo fazer são Como Conheci sua Mãe, e Dois Homens e Meio.

Já comecei com Friends. Tá sendo difícil no começo, mas espero deslanchar logo e pegar o jeito da coisa.


Outro método muito bom que pretendo utilizar é o que o Investidor Inglês indicou no seu blog, você pode acessar clicando aqui. A parte que fala sobre o método diz que você deve ouvir um áudio em inglês sem a transcrição. Depois vai ouvir acompanhando com a transcrição em inglês. Depois novamente sem a transcrição, mas agora anotando tudo que ouvir, o que conseguir entender. E depois traduzir as frases pra fixar bem.

Esse método tem um princípio muito bom que é o listening, que é ficar craque em entender o que é dito a você.

Nesse mesmo link do Investidor Inglês também há uma excelente dica pra usar o Google tradutor como método pra aprender a falar melhor o inglês. Isso eu até fazia, mas sem estratégia, sem regularidade, sem método. Agora, com a meta, pretendo me disciplinar a ficar fluente na língua.

Vou registrando aqui meu avanço nessa meta de ficar fluente em inglês ATÉ FINAL DE 2018.

Afinal, meta só é meta se tiver prazo.

E vocês, têm alguma dica pra incrementar o inglês?
Estarei muito grato por qualquer ajuda.

Abraços e fiquem com Deus.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Cuidado com a "Loteria Inversa" da Vida - Essa Probabilidade Você Não Quer Acertar



Tem coisas na vida que são capazes de mudar totalmente o rumo de alguém. Quem ganha na loteria, tipo a mega sena, vai ter um valor bem alto na conta bancária, e se souber aproveitar bem, uma renda passiva suficiente e com folga. Mas há uma "loteria inversa" na vida que também pode mudar o rumo das coisas, mas não de um jeito bom.

Hoje no trânsito eu estava dirigindo e pensando nas probabilidades de acontecer um acidente. Tipo, você dirigindo do boa, e alguém bater em você. Ou então, você fazendo algo errado e acabar batendo em alguém. Dependendo de como você dirige, se prudentemente ou negligenciando as leis de trânsito, as probabilidades podem estar bastante contra você. Como uma loteria, onde há níveis de ganhos, menores e maiores, nessa loteria invertida do trânsito se você for "contemplado" há algumas possibilidades. Pode ser só uma batidinha, pode ser uma colisão de maior proporção, que o seguro cobre com a franquia, ou pode acontecer algo grave, sério, que tenha implicações de grande proporção.

Um simples erro como passar um sinal vermelho, uma ultrapassagem pelo acostamento, um deslocamento curto sem o cinto de segurança, uma dose de vinho antes de dirigir, ou mandar aquela mensagem no whatsapp enquanto dirige, pode fazer você se arrepender amargamente durante muitos anos, ou por toda a vida.

E eu digo isso não é nem pelo aspecto financeiro em si, é pelos danos causados a outras pessoas ou a você mesmo e sua família. Financeiramente falando, imagine-se pagando indenização a alguém que foi atropelado e ficou impossibilitado de exercer suas funções. Ou imagine se você se acidenta feio e, se não morrer, fica incapacitado pelo resto da sua vida.

E a dor na consciência se tirar a vida de alguém num acidente? Incalculável.

Numa loteria tradicional quem acerta os números e ganha quis aquilo, já na "loteria inversa" ninguém quer ser contemplado, mas muitas pessoas agem como se não se importassem. Ou ignoram os riscos, ou os desconhecem. Portanto esse post é para nos manter sempre alerta, pra não jogar a vida pelo ralo por conta de uma decisão precipitada.

Vamos a outros exemplos:

Alguém que vive saindo com várias mulheres e sem preocupação com cuidados básicos, pode pegar uma doença sexual grave e perder a vida. E se viver, gastar horrores com tratamentos caros, ou depender do SUS.

Ainda no quesito mulher, alguém que sai com a mulher dos outros, pensando que pode sair impune. Uma leitura do livro de Provérbios, capítulo 5, e temos uma aula das consequências dessa decisão.
Veja o exemplo do jogador do hockey que tava saindo com a mulher de um policial. Perdeu a vida, já que o policial não conseguiu conter o ciúme. E o que muita gente pensa? Que pode fazer o mesmo e não vai acontecer nada? Cuidado, se você for "contemplado" pode se dar muito mal.

https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/pm-fingiu-ser-namorada-para-marcar-encontro-e-matar-atleta-video.ghtml

Agora veja esse caso:
Um servidor do órgão que trabalho foi preso por receber dinheiro como propina. Não vou julgar se fez ou não, isso cabe à justiça. Mas se for verdade, ele, que estava prestes a se aposentar, pode perder o emprego, perder um ótimo salário na aposentadoria, e ainda pode ser preso.
Uma decisão que ele tomou (se for culpado) pensando que não seria pego. Mas foi "contemplado".

Conclusão
Muitas coisas na vida acontecem sem termos contribuído pra isso. Mas dependendo de nossas atitudes, podemos aumentar ou diminuir as probabilidades de várias delas acontecerem. Ou seja, se formos prudentes, as chances de sermos "contemplados" na loteria inversa da vida cai drasticamente.

Você pode ser uma pessoa boa, calma, que ajuda os outros e se preocupa com o meio ambiente. Mas isso tudo não vale de nada se você dirigir escrevendo no whatsapp e acabar se acidentado, e tirar a vida de alguém, ou terminar indo dessa pra melhor.

Esse post ficou como um super alerta, mas um importante.

É como uma vez um instrutor de um curso de direção veicular me disse:
"NÃO QUEIRA APENAS APRENDER ERRANDO. FAÇA CERTO DA PRIMEIRA VEZ!"

PS: Não estou fazendo apologia a apostar na loteria, muito longe disso. Como o Cerbasi disse no livro "Adeus Aposentadoria": Loteria é para as pessoas que não sabem nada de estatística.
A chance de ganhar na mega sena, por exemplo, é 1 em mais de 50 milhões. É menor que as chances de ser atingido por um raio, MAIS DE UMA VEZ.
Por isso, não recomendo.

Um abraço a todos e fiquem com Deus.


quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Como Calcular o Montante Final de uma Aplicação com Depósitos Regulares



Olá pessoal, hoje quero trazer pra vocês um cálculo muito pertinente para todos aqueles que querem chegar à independência Financeira. Trata-se do cálculo do montante de uma aplicação com depósitos regulares, trocando em miúdos, é a forma de você calcular quanto você terá se depositar regularmente uma certa quantia em um investimento com uma taxa fixa de rendimento.

Por exemplo:

"Quanto terei se depositar 100 reais na poupança todo mês durante 20 anos?"

"Quanto terei se aplicar num título que rende em média 1% ao mês o valor mensal de R$ 500,00?"


Sei que essas dúvidas surgem, mas creio que algumas pessoas não sabem exatamente como fazer esse cálculo. Por isso quero trazer essa fórmula aqui. Há aqueles que sabem mexer no Excel, e aí basta fazer um cálculo simples, e sair "puxando" a célula com o cálculo e saber o valor final. Mas com essa fórmula, você pode ficar fazendo esse cálculo sempre que pensar em algum novo investimento, ou novo valor disponível pra aportar.

Esse cálculo que quero passar é pra você fazer na calculadora do seu Smartphone sempre que quiser saber de repente quanto vai ter se economizar todo mês com a TV a cabo que você gostaria de cancelar, e aplicar num título que rende 10% ao ano, por exemplo.

Primeiro a fórmula de calcular, depois os exemplos:





Agora vamos colocá-la em prática.

O primeiro exemplo que dei foi:

>>  "Quanto terei se depositar 100 reais na poupança todo mês durante 20 anos?"

Primeira coisa é saber a taxa de rendimento da aplicação. No caso da poupança, ela está atualmente em 0,47%** ao mês.

O valor do depósito já temos, serão 100 reais todos os meses.
E o período será 12 meses * 20 anos, são 240 meses.

DADOS
Taxa: 0,0047  (0,47%)
Depósito: 100 reais
Período: 240 meses

Agora vamos à fórmula

Montante Final = 100  *  (  ( 1 + 0,0047 ) ^ (240) - 1 )  /  0,0047

Montante Final = R$ 44.283,36



Pode colocar exatamente assim na sua calculadora. Mas tem que ser no modo científica. Esse ^ é a potência, na sua calculadora procure por Xy, com esse y sendo a potência.


Se você fosse multiplicar 100 * 240 meses, sem rendimentos.. você teria acumulado um total de apenas R$ 24.000,00.

Veja só o que os juros compostos fazem. Você vai ter quase o dobro.

>>  Vamos ao exemplo de você cancelar a SKY e aplicar os 200 reais que você paga no seu combo.

DADOS
Depósito: 200 reais
Taxa: 10% ao ano ou 0,8% ao mês (1,08^12 = 10%)
Período: 20 anos (por exemplo)

200  *  (  (  1 +  0,008  ) ^ (240) -  1  )  /  0,008

(Exatamente assim na calculadora)

Montante Final = R$ 144.226,24

Sem rendimentos seria 200 * 240 = 48.000
Aplicado, é mais que o triplo!


>>  E só pra terminar, vamos ao exemplo de 500 reais durante, digamos, 30 anos, a 1% ao mês.

DADOS
Depósito: 500 reais
Taxa: 0,01 = 1%
Período: 360 meses

500  *  ( ( 1 + 0,01 ) ^ (360) - 1 )  /  0,01

Total de R$ 1.747.482,06

Mais de 1 milhão e 700 mil reais.

E sem render nada seria: 300 * 360 = R$ 180.000

Ou seja, 10 vezes mais se aplicar a 1% ao mês durante 30 anos, e você pode chegar a quase dois milhões.

Lembrando que não estou considerando aqui outros fatores como inflação e impostos. Pois quero apenas mostrar como funciona, de forma simples, esse cálculo pra saber o montante final de uma aplicação regular de aportes.

Se você teve alguma dúvida, ou achou algum erro, pode escrever aí nos comentários, que ficarei feliz em responder (ou corrigir o erro ;P ).



** A poupança teve seu rendimento baixado devido ao corte na Selic. Agora a poupança vale 70% da Selic. Como ela está em 8,25% ao ano, a poupança vai render 5,775% ao ano.
Com um cálculo de juros compostos, verifica-se que a taxa da poupança ao mês é de 0,47%.

8,25 * 70% = 5,775


(1+x)^12 = 1,05775

x = 0,0047 ou 0,47% ao mês
(É ... muito pouco mesmo)


Pretendo Atingir a Independência Financeira com um Cargo Público, É Possível?

Olá pessoal. Com o dia do servidor público se aproximando (28 de outubro) queria trazer aqui um post sobre meus planos de  chegar à Inde...