quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Poupador Concurseiro?



Quem acompanha o blog sabe que sou servidor público. Trabalho num cargo de, digamos assim, fiscalização. Gosto do meu trabalho e tenho um salário considerado bom por muitos.

Mas ainda assim, eu tinha decidido estudar para outro concurso, pra ganhar quase o dobro, poder aportar mais, e atingir a IF mais rápido.

Poupador ainda jovem estudando para outro concurso


Tudo isso eu queria porque meu salário não dava pra pagar minhas contas. E todo mês eu ficava negativo. Isso, claro, antes de mudar de hábitos e passar a poupar, na época da gastança.

Acontece que, como disse, mudei de atitudes, parei de gastar e passei a economizar. Virei o "poupador".

Estou terminando de quitar minhas dívidas, como relato aqui no blog, e agora tenho vivido com dinheiro sobrando todo mês. Podendo investir, e alcançar a independência financeira.

E dá tempo?

Faltam mais de 30 anos para eu atingir os 60. Mais de 20 pros 50. Consigo separar cerca de 15% da renda, e pretendo aumentar para 30% logo, logo.

Bem, é mais que suficiente pra alcançar uma boa renda passiva.

E aí, o inevitável aconteceu! Estou desmotivado para estudar para outro concurso melhor.


Gosto de onde trabalho: todo mundo fala, e eu tenho essa consciência, de que onde trabalho é um dos melhores locais para se trabalhar. Trabalho de escala, tenho uma folga significativa, de vários dias. E mesmo no dia de trabalho não é assim tão sugado. E faço bem meu trabalho. Já estou acostumado a isso.


Ganho relativamente bem: posso investir para alcançar a independência financeira. Tenho um padrão de vida médio, mas não falta nada (graças ao bom Deus).

E me aposento mais cedo, devido às peculiaridades do cargo.
(Aqui explicarei mais detalhes no futuro post detalhando em que trabalho)

Por tudo isso, não consigo mais pegar numa apostila sequer.

Só de lembrar de tudo que passei para estar onde estou, de todo esforço, dos dias e dias confinado estudando, escrevendo, treinando redação, e outras inúmeras matérias. Depois mais esforço com viagens para fases posteriores, exames e mais exames, provas extras, testes extras. Depois de esperar horrores até a nomeação e posse. Simplesmente não estou afim de passar por tudo isso novamente.

É muito melhor se esforçar para economizar, não gastar, se manter fora da corrida dos ratos, do que passar por tudo isso de novo, sem garantia de aprovação em tempo curto (devido à escassez de certames).

Fora que estudar investimentos e formas de atingir a independência financeira é bem melhor que estudar os assuntos dos concursos.

Não aguento mais tantas mudanças na Constituição. Tantas decisões novas dos tribunais superiores, tantas regulamentações internas, entre outros assuntos nada empolgantes.

O "poupador concurseiro" agora é "poupador investidor".



Não quero aqui desanimar ninguém a parar de estudar para um cargo melhor, que pague mais, que seja mais gratificante.

Estou aqui relatando que: COMO estou percebendo que onde estou é suficiente para mim, então não preciso mudar por motivos financeiros. Que seria o motivo de querer mudar de cargo.

Mas se alguém está insatisfeito com seu trabalho, com seu salário, e tem o pensamento de que passar por tudo isso é melhor do que sua situação atual, então digo para estudar SIM. Faça outro concurso, vá para um lugar em que você goste de trabalhar.

Se tem uma coisa ruim é trabalhar em um emprego de que não gosta, e passar a vida reclamando.



Por enquanto essa é minha situação atual: satisfeito com meu trabalho, estudando formas de alcançar a IF, e vivendo meus dias com a graça e permissão de Deus.

Hoje estou bem reflexivo :D

Seria esse o meu "Diário de um Pensador"?

E você, o que acha do seu trabalho?

Antes da IF, pretende mudar, trabalhar em outro local, empreender?

Compartilhe conosco um pouco de seus objetivos.


Um abraço do Diário.


PS: Nos comentários abaixo tem mais algumas importantes explicações sobre minha decisão de atingir a IF de onde estou, sem a necessidade urgente de ir para outro concurso no momento.

38 comentários:

  1. seu ponto de vista faz muito sentido.
    tambem sou FP, e tambem achei um saco estudar hahaha
    logico que me proporcionaria uma melhor renda, mas hoje tenho um bom emprego e trabalho só meio periodo, entao vou estudar um alternativa de renda extra no meu tempo livre.
    tenho certeza que sera melhor do que estudar pra concurso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso que estou pretendendo anôn, renda extra no período da minha folga. Mesmo que não chegue próximo do que receberia em outro cargo, é melhor do que passar por todo aquele sofrimento desgastante que estudar causa.

      Valeu a visita.

      Abraços

      Excluir
  2. Olá Ddp,

    Eu também sou servidor público. Também parei de estudar para concursos. Vou buscar minha renda passiva através do meu salário e de alguns negócios por fora.

    Agora que você tem consciência, é só pagar as dívidas e aumentar os aportes.

    Você é bombeiro?
    Seu salário é por volta de quantos?

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Cowboy.

      Exatamente isso que estou pensando, renda extra por fora. No período de folga. Não será tão grande quanto um outro cargo pagaria, mas a liberdade compensa.

      Não sou bombeiro, mas minha escala de trabalho é praticamente igual a um, folgo bastante.

      Estou esquematizando o post em que vou revelar a profissão com mais detalhes. Só preciso fazer direitinho pra não escorregar em nada e prejudicar o anonimato.

      Ganho entre 8 e 10 mil. Quando terminar os consignados agora em Janeiro, com a quitação do último (Deus seja louvado!) e quando o presidente parar de maldades e liberar o aumento bloqueado pela MP, serão mais de 10mil líquidos.

      Abração

      Excluir
    2. Fala Diário!

      Se gosta de onde trabalha e devido a seu salário, não vejo o porquê estudar. Mas o ponto dito pelo Ministro é interessante. Apesar que eu não estudaria kkk

      Abraços!

      Excluir
    3. Obrigado DdP,

      Meu salário é parecido com o seu. Hoje poupo bastante. Agora com 10k líquidos aí vai ter um bom aporte.

      Abraços.

      Excluir
    4. Inglês, realmente o que o Ministro disse é bem plausível, na verdade foi o que pensei durante mais de 3 anos pra conseguir continuar estudando.

      Uma coisa que não mencionei no post, mas falei na resposta ao Ministro, hoje já tenho uma semi IF, devido à folga que tenho do trabalho. Digo IF porque posso fazer coisas que na maioria dos trabalhos não conseguiria justamente pela falta de tempo.

      No momento estou um período sabático, sem pegar numa apostila sequer. Torcendo para que esse período se estenda até a esperada IF em tempo integral :D

      Abração

      Excluir
    5. Cowboy, é o que almejo agora, poupar aí 30% disso, 3000 mensais. Espero alcançar essa marca de aporte em 2019. Pro ano que vem algo em torno de 2000, devido estar me adaptando a essa caminhada de frugalidade. Tudo aos poucos.

      Abraços colega

      Excluir
  3. E ai Diário!

    Cara, a maratona de estudar para concursos é realmente muito pesada, por isso que é aconselhável engatar um concurso atrás do outro, aproveitando o embalo, pois depois de muito tempo de inatividade, retomar os estudos fica muito complicado.

    Não sei qual é o seu cargo, mas mesmo com todo o sacrifício de estudar, acho que vale a pena vencer o comodismo e buscar coisa melhor. Isso vai variar de situação para situação logicamente, mas tenha em mente que sua cabeça sempre vai pensar primeiro nos motivos para você ficar parado (zona de conforto), por isso analise bem se realmente vale a pena abrir mão de buscar voos maiores.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ministro

      Seu ponto de vista é aquele que durante muito tempo me fez refletir, e continuar a saga dos estudos.

      Durante mais de 3 anos eu estudei para um determinado cargo, esperando mudar de vida financeira.

      Eu repudio o comodismo imoderado, aquele em que o único prazer é rechaçar os que tentam sair dele.

      Mas quando se trata de alcançar determinado nível, onde se sinta realizado, acredito numa "zona de conforto" benéfica. Afinal, não é isso que procuramos com a IF, um estado de descanso e liberdade? Uma zona de conforto, no sentido real do termo.

      (Nossa, fui longe hein, filosofei, rsrs)

      O que quero dizer é: durante 3 anos eu estudava pensando em finalmente me ver livre de dívidas e podendo investir. De repente vejo que estou (estarei logo, logo) exatamente assim.

      Ou seja, não precisei estudar e passar mais uma vez por toda essa maratona que você e eu conhecemos para atingir o que queria. Óbvio não no montante que pensei, mas com a qualidade de vida bem próxima do que almejava.

      Antes de eu estar onde estou hoje, seu comentário era um lema: NÃO PARAR!

      Na verdade até depois de passar no concurso que estou hoje eu não queria "parar". Lembro que meu sonho de concurseiro era o cargo de Juiz Federal.

      Com o tempo, as circunstâncias, fui vendo que não era vital para mim alcançar tais objetivos. Pois onde estou estou bem.

      O aprendizado de alcançar a independência financeira levando uma vida mais simples me permitiu abrir esse novo horizonte.

      Pra terminar esse comentário gigantesco (rsrs), concluo que onde estou já sinto uma IF hoje! Pois com a folga que tenho, posso aproveitar um monte de coisa que outros cargos que almejo não me dariam: essa liberdade (ainda que parcial).

      Ainda tem o fato de me aposentar alguns anos mais cedo que o normal (Que é um fator determinante nessa minha decisão, mas por conta de não poder revelar minha profissão agora, não pude mencionar maiores detalhes).

      Enfim, gostei bastante do seu comentário, pois vai muito ao encontro do que tenho em mente sobre uma vida na qual se busca sempre melhorar. Que é o que indico sempre pra quem está começando a vida adulta, e procura os concursos como um meio de sustento: Não parar, até conseguir o que quer.

      E é isso o que tenho hoje. Ou pelo menos penso isso agora, pois ninguém sabe o dia de amanhã, e todo o planejamento de estudar precisar ter que voltar à tona.

      Esse comentário dá um post, hehe

      Um grande abraço colega.

      Excluir
    2. Entendo...

      É uma decisão muito pessoal mesmo, vai depender de cada caso. Cito um caso verídico de um conhecido: aconteceu há uns 3 ou 4 anos...ele era Oficial de Justiça, devia ganhar uns R$ 10k, e passou para um concurso que pagava entre R$ 14k e 15k. Tomou posse nesse novo cargo, mas em menos de 2 meses pediu recondução de volta para o cargo de Oficial de Justiça. Por quê?

      Como Oficial de Justiça ele tinha muito mais liberdade para gerenciar o seu tempo, ia uma vez por semana no fórum pegar as intimações e gerenciava como fazer para cumpri-las. Segundo ele, raramente trabalhava dia de segunda e sexta.

      Então, não pode se acomodar, mas também é preciso pesar outras questões além do salário.

      Abraços!

      Excluir
    3. Isso mesmo Ministro.

      Engraçado você mencionar recondução. Eu estudava pensando em pedir recondução caso não me adaptasse. Depois de um tempo pensando bastante nisso, eu percebi que, se estava refletindo muito em recondução, é porque não estava me acostumando a ideia de mudar minha escala de trabalho, meu serviço, minha rotina da qual gosto bastante.

      Outra coisa que pensei lendo sua resposta (por isso os comentários são tão bons), me acomodar seria se eu não buscasse mais nada na vida. Quando na verdade eu estou buscando, só não mais no serviço público.

      Ps: oficial de justiça tem uma liberdade enorme mesmo.

      Valeu colega, e parabéns pelos 7 meses de blog
      Abraços

      Excluir
  4. Queria ser também servidor público e me acho inteligente para passar em concurso. O problema é que meu ensino superior é bem genérico, e a maioria dos concursos pede formado nisso ou naquilo... Nunca vi concurso pedindo meu curso especificamente... Só isso diminui muito o leque de opções. Outra questão é que a maioria dos concursos hoje é para aprovar meia dúzia ou cadastro de reserva. OU seja, tem que ser o pica dos picas. Também tem a questão de venda de gabaritos e cargos que já vimos no fantástico, então as chances diminuem mais ainda. Para finalizar meu salário hoje é 5k bruto, e muitos concursos pagam só pouco acima disso. vale meu esforço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Baseado na experiência que tenho, vou te responder por partes, grande Bufunfa.

      Se você tem curso superior, ainda que genérico, há sim um leque de opções para você. Cito por exemplo os concursos fiscais, que não exigem em sua grande maioria um cargo específico, e pagam super bem. Alguns passam dos 20mil reais. Lembrando, independente da área de atuação.

      Há também concursos policiais. Os federais não exigem formação específica e pagam quase 10mil iniciais.

      Há os concursos do senado e câmaras, e também as assembleias, que muitas vezes também não exigem área específica, e pagam bastante. O do senado então, nem se fala, policial legislativo é nível médio e paga uns 20 mil reais.

      Agora, quanto às vagas ofertadas. Estamos mesmo numa época de escassez de concursos, e quando abrem liberam poucas vagas. Mas, há sim concursos com bastante vagas. Geralmente os que ofertam poucas vagas são os que exigem área específica de atuação, ou os tribunais federais (são tão poucas que é mais fácil acertar a ação que vai quadruplicar na bolsa) e os de grande repercussão, como juízes, promotores, procuradores.

      Mas os fiscais, policiais, técnicos de tribunais estaduais, entre outros, liberam sempre muitas vagas, especialmente os nacionais.

      E sobre as fraudes, realmente isso é de desanimar, mas te garanto que são exceção.

      Pode fazer um concurso tranquilo, estudar tranquilo, que seu mérito vai valer mais que qualquer fraude.

      Quem estuda pra passar não pensa nisso, apenas na prova e na aprovação.

      Então, concluindo, e por experiência própria, VALE MUITO A PENA O ESFORÇO.

      Qualquer colega aqui servidor, como o Cowboy, Ministro, Aportador Frugal, e até o Soul Surfer, podem atestar isso.

      Um grande abraço

      Excluir
    2. Muito Obrigado pela resposta amigo. Se não for exigir muito, sabe me informar alguma comunidade ou blog que fale disso o tempo todo tipo aqui na finansfera? Quero me aprofundar no assunto.

      Excluir
    3. http://www.forumconcurseiros.com/forum/forum/f%C3%B3rum-concurseiros/como-fui-aprovado

      Excluir
    4. Exigir muito? De maneira nenhuma colega. Estamos aqui pra nos ajudarmos ;)

      Eu ia falar exatamente o site que o concursado investidor postou.

      O fórum concurseiros é o melhor local com informações sobre concursos, na minha humilde opinião. Quando você escolher uma carreira, sempre que possível, vai lá no fórum do respectivo cargo e veja o que o pessoal tá comentando sobre o concurso.

      Pode ser bem motivador.

      Esse link específico do concursado invertidor também é bem legal.

      Já quanto a uma blogosfera de concurso, não sei se existe uma tão legal e organizada quanto a nossa. Mas de certeza há vários blogs sobre concurso, vários deles aqui na blogosfera de finanças.

      Grande abraço Bufunfa

      Excluir
    5. Valeu Concursado Investidor. Eu ia postar exatamente o fórum concurseiros. Mas você já foi na veia, postou logo o tópico motivacional pro colega. Valeu!

      Abração

      Excluir
    6. Obrigado Pessoal! Vcs foram muito legais

      Excluir
    7. No problem buddy, tamo aqui pra isso. Abração.

      Excluir
  5. Eu nunca conseguiria me dedicar a estudar para concursos públicos. A não ser pelo fato único de passar no concurso, esse tipo de estudo, no geral, não tem nenhuma finalidade prática, e exatamente por isso não conseguiria me dedicar. Por não acreditar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enriquecendo, vou discordar em parte de você.

      Realmente estudei muita coisa desnecessária ao dia-a-dia da minha atividade, e também quando estava estudando para o outro concurso. MAS a maioria das matérias que estudei tiveram e têm aplicação prática no meu cotidiano profissional e, pasme, no pessoal.

      Assuntos como direitos, atualidades, informática, políticas, e até o português e matemática, me ajudaram a ter um grande conhecimento de mundo.

      Você desenvolve opinião, discute e argumenta sobre o mais variados temas com as mais variadas pessoas, e não faz feio, porque tem base para seus pensamentos.

      Na caminhada à IF eu uso inúmeros conhecimentos matemáticos. Juros, descontos, estatísticas, probabilidades, sem isso eu estaria leigo em várias coisas sobre finanças. E não aprendi isso no Colégio, foi estudando para concursos que aprendi de fato.

      Noções de economia, estudando pra concursos também.

      Então, se esse for seu único problema, pode estudar tranquilo (se assim o quiser, claro)

      Espero ter ajudado

      Um forte abraço

      Excluir
  6. Olá Poupador, sou funcionário público também e depois de uma longa caminhada consegui agregar 2 cargos públicos na área da saúde.

    Assim como você, meu saco simplesmente nao existe mais para estudos. Só se eu perdesse algum vínculo por meio de um processo administrativo, sei lá.

    Antes eu pensava que deveria ganhar mais para ter acesso a mais itens de luxo. Hoje vejo que meu salário é mais do que suficiente para meu sustento. Consigo poupar, viver e sou feliz assim.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí AF, tudo bem?

      Eu estou realmente me libertando (se é que posso chamar assim) da necessidade de estudar pra outro concurso para melhorar de vida. Percebi que posso fazer isto mudando hábitos de consumo e investindo. Na verdade seria até pior estudar tanto, ganhar o dobro, mas permanecer com a mesma atitude errada de gastar muito. O novo e maior salário não daria pra nada novamente.

      Estamos com os pensamentos bem alinhados então

      Um abraço e fica com Deus

      Excluir
  7. Olá, poupador. Assim como vc, atualmente estou satisfeito financeiramente com meu cargo, pelo visto temos a mesma faixa etária tbm.

    Por enquanto estou igual a vc, segurando os gastos e focando no aporte, em busca de uma tranquilidade financeira no futuro.

    Eu fico atento aos movimentos dos concursos com salários atraentes, se os boatos se intensificarem e eu estiver disposto, volto aos estudos com ânimo total.

    Dobrar meu aporte não seira nada mal, mas por enquanto vou aproveitando esse período sem estudar pra aprender sobre investimentos.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Concursado Investidor.

      Pois é, minha motivação pra ficar é gostar do trabalho que faço, e que faço bem
      Tem seus altos e baixos (alguns bem baixos rsrs), mas é normal, nenhum emprego é perfeito.

      Você tem bastante fôlego então. Como o Ministro falou logo acima, é importante manter-se sempre ativo estudando e fazendo concursos para não perder o pique. Ficar parado e voltar a estudar quando sai notícia, não dá pra mim, fico perdido. Preferiria não ter parado (se fosse o caso).

      Também estou aproveitando esse tempo pra aprender mais sobre investimentos.

      Valeu a visita, forte abraço e fica com Deus.

      Excluir
  8. Sou servidor do baixo escalão. Porém não estou entusiasmado com concursos, passar num bom concurso é quase uma loteria, portanto não me empolgo com isso.

    Fiz um concurso a uns 3 anos atrás e passei perto das primeiras colocações, mas eram apenas 2 vagas, depois disso diminuiu minha vontade de apostar nisso, embora não descarte a possibilidade.
    Empreender ou me tornar um autônomo são opções que também considero.

    Vou te fazer umas perguntas que fogem do tema do post, mas que julgo importantes:
    Acredito que você seja casado. E parece ser um cristão praticante.

    Eu te pergunto: Conheceu sua mulher antes ou depois do emprego que conquistou?
    Como conheceu ou escolheu sua mulher? Não está fácil achar mulheres com comportamento cristão.
    Depois de uma certa idade a maioria já está com uma quilometragem considerável e casa com uma radada creio eu não seja o sonho da maioria dos homens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anôn.

      Se você ainda pretende crescer na carreira do funcionalismo público, não desista por causa de poucas vagas. Tente achar um que se encaixe com seu perfil. Sempre saem alguns com bastantes vagas, vide o que escrevi ao Bufunfa logo acima.

      Empreender não deixa de ser uma opção também. Não pode é ficar totalmente parado no tempo e no cargo, esquentando cadeira hehe

      Quanto às perguntas, acredito que não tem problema responder algumas.

      Sou casado sim, e Cristão praticante, com muito orgulho e alegria. Na verdade, não há alegria maior nessa vida do que seguir aquele que foi (é, e sempre será) o maior.

      Conheci minha esposa antes do cargo atual. Eu era funcionário de outro órgão. Ela também é Cristã.

      Infelizmente, não é fácil mesmo encontrar. Mas também, é preciso procurar nos lugares certos.

      Obrigado pela visita.

      Fica com Deus

      Excluir
  9. Olá DUP, também sou serv. pub. e no início estava bastante empolgado. Mesmo trabalhando umas 6h/dia, hoje tenho vontade de fazer outras coisas. Me cansa muito a mentalidade esquerdista da maioria dos colegas. Sou grato pelo meu trabalho e boa remuneração, mas queria me especializar no setor de finanças. Contudo, não me vejo trocando meu emprego com estabilidade para
    trabalhar em algum banco vendendo título de capitalização.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá FP.

      Você poderia se especializar no setor de finanças para saber aplicar melhor, investir em bens rentáveis, e ir melhorando seu patrimônio. Não precisa largar seu emprego para ser gerente de banco.

      Fiz um curso superior de finanças e estou procurando melhorar dia a dia os conhecimentos sobre investimentos. Tentar atrelar o trabalho público, com as aplicações, e viver disso. Quando aposentar, juntar a aposentadoria com a renda passiva gerada pelo juros no patrimônio.

      Valeu a visita colega, um grande abraço

      Excluir
  10. Minha opinião: acho que vc, assim como eu, é mt jovem para relaxar. é interessante estarmos o tempo todo lutando, for da zona de conforto, sempre buscando algo melhor. quando estiver la pelos 50 ai sim é hora de ir desacelerando o motor.
    eu vou cotinuar lutando até chegar no teto do funcionalismo (30 e poucos mil)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anôn.

      Vou responder seu ótimo comentário com mais alguns pensamentos meus sobre o porquê de parar por agora:

      Por muito tempo eu pensei assim, "ainda sou novo, ainda sou novo, preciso conquistar mais... não posso me acomodar". Mas como postei acima, eu abri os olhos e vi que o que eu faço hoje, eu gosto de fazer... poderia melhorar e trabalhar em algo de que gostasse mais? Sim, claro. Poderia ter um salário maior pra isso? Sim. Agora, valeria o esforço?... Essa pergunta gera um silêncio em minha mente.

      Se eu fosse desempregado, ou ganhasse pouco, não teria dúvida alguma. Aliás, foi exatamente o que fiz durante os anos iniciais na vida pública com cargos de salários mais baixos que o atual.

      Mas hoje vejo que não há uma necessidade muito grande para que eu precise de fato migrar para outro cargo e receber mais.

      30 mil parecem bem interessantes para buscar num novo cargo público. Pra isso, precisaria ir para área jurídica (onde há mais cargos próximos do teto). E a caminhada até lá envolveria cursar 5 anos de direito, mais 3 de prática jurídica, mais alguns anos estudando. Não me imagino mais passando por tudo isso.

      O salário líquido de alguém que ganhe 30mil brutos é em torno de 21mil, ainda que coloque alguns benefícios, não passa de 25mil. Então, para aumentar o salário de 12mil líquidos (valor líq final na minha carreira atualmente) para 25mil líquidos, seria um sacrifício muito grande, para um benefício não tão significativo assim (minha opinião).

      E no futuro? Ah, o futuro só Deus sabe. Pode ser que eu mude de pensamento e volte a estudar? Tudo pode acontecer, inclusive nada, rsss

      Não descartei permanentemente melhorar de cargo. Apenas estabeleci que agora, agora, não pretendo, nem quero, estudar para outro concurso... quero alcançar a IF de onde estou, e estou satisfeito, e feliz.

      Obrigado pela visita e pelo comentário. É sempre bom, porque me faz refletir.

      Fica com Deus

      Excluir
  11. Sou auditor federal. Estudei durante 4 anos. De domingo a domingo.
    Era adEvogado e tinha uma vida bem fraca (financeiramente).
    Com a aprovação, tornei-me um ex-advogado e a mudança foi da água para o vinho.
    Ganho bem. Poderia ganhar mais, bastaria continuar estudando para concurso de juiz / promotor. Mas, estou como você.
    Estou satisfeito com minha situação atual.
    Tenho um amigo juiz e um outro promotor. Logicamente que eles ganham mais do que eu e tem status (para quem liga para isso, eu dispenso). Mas um vive em uma cidade com menos de 100 mil habitantes e o outro em uma cidade com menos de 200 mil. E, sinceramente, já sou acostumado com capital. Já estou há mais de 11 anos em capital e não mudaria de jeito algum para cidades sem as opções de lazer e cultura que uma capital oferece.
    Já meus amigos optaram por essa vida de interior com cargo super top. E eles estão certos no pensamento deles, visto que cada um é feliz do seu jeito.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anôn Auditor.

      Fiquei feliz com seu comentário, não só pela realidade próxima à minha, mas também pelo cargo que você ocupa. Porque eu estudava para Receita Federal, bastante por sinal, rsss.

      Fiz muitas comparações com o regime de trabalho de vocês, e isso foi clareando em minha mente que eu prefiro trabalhar com a atividade que desenvolvo hoje.

      Apesar de haver na RFB locais em que eu desenvolveria atividades bem próximas àquelas que realizo hoje, essas são exceção no cargo, não a regra. A diferença salarial é significativa, sim, e isso era o que me motivava a querer ir para esse seu cargo. Mas venho percebendo que mudar de um cargo onde eu me sinta bem, para outro onde eu tenha forte probabilidade de não me adaptar tão facilmente, especialmente ao regime de trabalho (diariamente), pode não ser tão satisfatório para mim. Ou seja, ficar onde estou, apesar de ganhar menos, está sendo satisfatório, bastante.

      Há outras variáveis em jogo, mas não quis colocar tudo no post para não ficar demasiadamente longo. Por exemplo cito o que você mencionou sobre as cidades onde morar e trabalhar: Já estou há quase 8 anos no cargo atual, já trabalho num local em que posso morar na minha cidade natal, e isso depois de muitos anos longe de casa. E se fosse para a RFB iria amargar um bom tempo, de novo, longe de casa, longe da família e amigos. E já sofri tempo demais assim.

      Outro exemplo: minha aposentadoria é mais cedo, devido às peculiaridades do cargo (e se o Temer não bagunçar demais).

      Minha escala de trabalho me dá um número considerável de folgas, a ponto de me permitir uma semi IF já agora. Isso pesa bastante, pois posso fazer coisas da IF enquanto sou novo.

      Muito obrigado pela visita e pelo relato.

      Fica com Deus e forte abraço.

      Excluir
    2. Também sou auditor fiscal (de um fisco top estadual).
      Foquei exclusivamente nesse concurso, estudei e passei de primeira. Estou satisfeito com o cargo, salário e lotação, mas quero mais. Entrei no Direito pensando nos altos cargos jurídicos e posso dizer que me encontrei plenamente. Acredito que, por mais que nossa situação esteja confortável, sempre podemos melhorar.
      Boa sorte a todos.

      ass: AFR

      Excluir
    3. E aí AFR. Você falou algo bem interessante: "Me encontrei plenamente". Se você viu que gostou da área, imagino que até mais do que a sua atual, então sentiu que é isso que quer. Parar onde está seria de fato se acomodar.

      E como venho comentando, pra quem já 'se encontrou', sempre podemos melhorar sim, mesmo que em outras áreas.

      Um abraço.

      Excluir
  12. Impressionante como o pessoal da Firma começa a estudar pra sair e desiste. Sua história parece muito com a minha. Se duvidar a gente é até da mesma turma (171). Mas é isso, vale muito a pena empreender no nosso tempo livre. Vejo antigões pagando a faculdade de medicina dos filhos à vista pra pegar desconto. Tudo pq investiram bem quando eram jovens ou começaram empresas que deram certo e hoje tem uma renda maior até do que a de juízes. O importante é arrumar o bico nas horas vagas e não perder dinheiro. Boa sorte na caminhada rumo à IF.

    ResponderExcluir
  13. Olá NanskaBR.

    Muitos desistem por preguiça, outros desistem porque encontram outros meios de aumentar a renda. E outros porque percebem que estão satisfeitos e felizes com o trabalho que realizam.

    Para os funcionários públicos que podem empreender, é uma excelente opção.

    Eu também penso que posso fazer algo que acabe rendendo algo próximo a um salário de alto escalão, sem a necessidade de estudar para outro concurso.

    Pagar uma faculdade de Medicina à vista, realmente, foi algo bem planejado. São benefícios como esse que ser disciplinado gera.

    Obrigado pela visita, fica com Deus.

    ResponderExcluir